Saiba o que pode causar Insônia na Gravidez

A maioria das mulheres grávidas apresenta grande sonolência, principalmente no primeiro trimestre de gestação. Por isso, o sono em excesso já se tornou um sintoma comum quando falamos sobre gravidez. No entanto, você sabia que pelo menos 80% das gestantes têm problemas para adormecer ou permanecer dormindo durante a noite, principalmente no fim da gestação?

A insônia é um distúrbio do sono muito comum, que pode afetar qualquer pessoa, em qualquer idade. Entretanto, as mulheres estão em primeiro lugar nos fatores de risco. Isso ocorre porque o sexo feminino passa por muitas alterações hormonais durante a vida, como na TPM, gravidez e menopausa, o que interfere diretamente na qualidade do sono da mulher.

Insônia na Gravidez: é normal?

A insônia é um sintoma comum da gravidez, que acredita-se ser causado pelas alterações hormonais típicas desse período. No primeiro trimestre, é normal que a mulher sinta muito sono, pois os níveis de progesterona ficam extremamente altos. No entanto, alguns casos podem ser influenciados pelo aumento de estrogênio no organismo da mulher, pois esse hormônio tem poder estimulante que pode resultar em despertares noturnos na gravidez.

Embora seja uma explicação plausível, não são todas as mulheres que sofrem com insônia durante a gestação e, por isso, acredita-se que outros fatores podem estar relacionados ao surgimento do problema. Mulheres que sofrem com algum transtorno emocional, como estresse, ansiedade ou depressão, têm mais chances de desenvolver insônia ao longo da gravidez.

Além disso, outros distúrbios durante a gravidez também podem causar o problema. O aumento do peso e da barriga durante esse período acaba atrapalhando na respiração da gestante, o que influencia no surgimento de apneia do sono, que tem o ronco como principal sintoma, por exemplo.

Insônia na Gravidez: terceiro trimestre

mulher olhando para o relógio

Como a maioria das queixas entre as gestantes está relacionada ao último trimestre de gestação, acredita-se que condições físicas influenciem no problema. Dor nas costas, refluxo, movimentos do bebê, crescimento da barriga, dificuldade para encontrar uma posição confortável, vontade de urinar diversas vezes à noite, câimbras e dor nos seios são as principais causas da insônia no terceiro trimestre de gravidez.

Além disso, a ansiedade típica desse período também pode atrapalhar a qualidade do sono. Muitas mulheres sofrem com insônia porque se preocupam muito com questões futuras, como a aproximação do parto e a chegada do bebê. Essas preocupações deixam a mente da gestante ativa, provocando estresse e alterações de humor durante o dia, afetando diretamente o sono à noite.

Insônia na Gravidez pode Prejudicar o Bebê?

mulher gravida segurando ursinho

Segundo especialistas, problemas noturnos durante a gravidez são tratados como simples sintomas do período gestacional, passando despercebidos no pré-natal. No entanto, é preciso ter muita atenção e cuidado na qualidade do sono, principalmente na gestação, pois certos distúrbios podem afetar o bebê diretamente.

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, descobriram que mulheres com algum distúrbio do sono, como insônia ou apneia do sono, têm até duas vezes mais chances de sofrer com um parto prematuro quando comparadas com gestantes sem transtornos do sono.

Segundo Jennifer Felder, psiquiatra e autora do trabalho, o nascimento prematuro é uma das principais causas de morte nos primeiros 5 anos de vida da criança e, por isso, distúrbios como esse devem ser analisados para que haja uma prevenção do problema. A pesquisadora comenta que a privação do sono tem um impacto direto no funcionamento do corpo, resultando na liberação de substâncias inflamatórias no organismo, que causam o parto prematuro.

Insônia na Gravidez: como tratar?

mulher gravida deitada de lado dormindo

A insônia na gravidez é geralmente tratada através de terapias que ajudam no relaxamento da gestante, melhorando a qualidade do sono durante a noite. Uma boa higiene do sono é essencial para prevenir o distúrbio, portanto, a mulher grávida deve adotar alguns hábitos, como:

  • Procurar dormir em lugares confortáveis, silenciosos e com pouca iluminação;
  • Não beber muitos líquidos à noite para evitar a vontade de ir ao banheiro;
  • Não comer frituras, doces ou refeições muito temperadas, pois esses alimentos influenciam no surgimento de refluxo e azia à noite;
  • Não usar aparelhos eletrônios, como Smartphone e TV, antes de dormir;
  • Adotar uma rotina do sono, dormindo e acordando sempre nos mesmos horários;
  • Não deitar na cama sem sono. O melhor a fazer é esperar o sono chegar enquanto realiza outras atividades relaxantes, como escutar músicas calmas ou ler um livro físico;
  • Colocar um travesseiro entre as pernas para ficar mais confortável;
  • Focar na própria respiração quando tiver problemas para adormecer novamente no meio da noite;
  • Evitar tirar muitos cochilos durante o dia;
  • Praticar exercícios físicos moderados regularmente;
  • Praticar yoga ou meditação para relaxar e controlar a ansiedade;
  • Tomar um banho morno antes de ir dormir;
  • Beber um chá de camomila ou erva-cidreira antes de dormir.

A insônia na gravidez também pode ser tratada com medicamentos, mas seu uso só pode ser indicado por um obstetra que esteja acompanhando a gestação.

 

Fontes:

https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/53498/2/Patologia%20Respiratria%20do%20Sono%20na%20Gravidez.pdf

http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/handle/123456789/507