Síndrome do Pânico e Ansiedade: Qual a diferença?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 9,3% dos brasileiros sofrem com algum transtorno de ansiedade atualmente. No entanto, a maioria da população desconhece ou acaba confundindo os sintomas dessas doenças. Mas afinal, qual é a diferença entre Ansiedade e Síndrome do Pânico?

Para respondermos essa pergunta, é preciso primeiramente conhecer as características de cada uma delas.

O que é Ansiedade?

mulher roendo as unhas por causa da ansiedade

A Ansiedade é uma emoção comum do ser humano, que ocorre em diversas situações do dia a dia. Uma criança esperando pela festa de aniversário, um adolescente se preparando para o vestibular, um adulto prestes a realizar uma entrevista de emprego. Todas essas ocasiões podem causar ansiedade, o que é extremamente normal, pois precisamos dela para nossa evolução. No entanto, algumas pessoas tendem a ser muito ansiosas, o que pode acabar prejudicando a qualidade de vida delas.

Quando a ansiedade se torna extrema, seus sintomas ficam mais intensos, podendo se tornar físicos em alguns casos. Isso ocorre por meio de crises, que causam uma sensação de medo e preocupação devido a pequenos conflitos do cotidiano, como trabalho, estudo, entre outros.

Existem vários transtornos de ansiedade atualmente, como Transtorno de Ansiedade Generalizada, Fobia Social, Síndrome do Pânico, Transtorno de estresse pós-traumático, entre outros. Todos eles exigem um tratamento especializado, com terapias e medicamentos de acordo com suas causas e gravidade.

Causas

Não se sabe ao certo por que algumas pessoas são mais propensas a sofrer com altos níveis de ansiedade. No entanto, alguns fatores como a genética, por exemplo, podem influenciar no desencadeamento do problema, assim como o modo de pensar, situações traumáticas ou de estresse e doenças físicas. Outras complicações de saúde, como doenças cardiovasculares e respiratórias, ou até mesmo o abuso de álcool e drogas podem causar um quadro de ansiedade mais grave.

Sintomas

Quando as crises de ansiedade se tornam muito intensas, elas podem incluir alguns sintomas, como:

Físicos

  • Dor ou aperto no peito;
  • Dificuldade para respirar ou respiração acelerada;
  • Suor excessivo;
  • Tremores pelo corpo;
  • Náusea;
  • Sensação de boca seca;
  • Tensão muscular;
  • Problemas intestinais.

Psicológicos

  • Tensão e nervosismo;
  • Sensação de que algo trágico vai acontecer;
  • Medo;
  • Irritabilidade;
  • Não ter controle sobre os pensamentos;
  • Dificuldades para se concentrar.

O que é Síndrome do Pânico?

homem com mãos no rosto, com medo por causa da síndrome do pânico

A Síndrome do Pânico é um transtorno de ansiedade intenso, caracterizado por crises com forte sensação de medo e desespero, assim como outros sintomas físicos. É mais comum em mulheres do que em homens, e acredita-se que as alterações hormonais femininas causadas pelo início da vida fértil sejam as desencadeantes do problema. Geralmente começam no final da adolescência e início da vida adulta, mas podem surgir na infância e em pessoas com mais de 30 anos.

As crises ocorrem sem um motivo aparente, de forma totalmente inesperada, e podem durar até 30 minutos, atingindo o pico em 10 minutos. Quando não tratado, esse distúrbio pode acabar desenvolvendo outras doenças mais sérias, como Depressão e Agorafobia.

A grande característica desse problema é a imprevisibilidade com que as crises ocorrem, assim como a grande intensidade de seus sintomas. Pessoas que sofrem com a Síndrome do Pânico acabam desenvolvendo um medo constante por não saber quando a próxima crise irá acontecer. Isso resulta em isolamento, prejudicando diversas atividades diárias. Por esse motivo, o tratamento para o transtorno é tão importante. Sessões de psicoterapia podem ajudar no controle de respiração, assim como alguns exercícios de meditação. Medicamentos também são parte do tratamento, mas devem ser usados apenas com prescrição médica.

Causas

As causas da Síndrome do Pânico ainda não são exatas, mas a medicina acredita que fatores genéticos podem estar relacionados, assim como o estilo de vida que o indivíduo leva. Pessoas ansiosas, com predisposição ao estresse, ou que passaram por algum trauma de infância estão nos fatores de risco. No entanto, existe uma outra hipótese de que haja uma disfunção no sistema de alerta do cérebro, fazendo com que surjam crises em situações comuns, como tomar banho e assistir TV.

Sintomas

Os sintomas da Síndrome do Pânico são bastante intensos e, na maioria das vezes, fazem a pessoa pensar que está tendo um ataque cardíaco.

Físicos 

  • Respiração ofegante;
  • Falta de ar e sensação de sufocamento;
  • Suor excessivo;
  • Tremores;
  • Calafrios;
  • Ondas de calor;
  • Boca seca;
  • Náuseas;
  • Dores abdominais;
  • Sentir que a garganta está fechando;
  • Dor no peito;
  • Dormência e formigamento nas mãos, pés ou no rosto;
  • Palpitações;
  • Batimentos cardíacos acelerados;
  • Dificuldade para engolir;
  • Tonturas;
  • Dor de cabeça;
  • Desmaios.

Psicológicos

  • Medo causado pela sensação de que está prestes a morrer;
  • Medo de enlouquecer ou perder o controle;
  • Pensamentos negativos;
  • Desespero;
  • Ansiedade;
  • Sensação de que algo trágico está prestes a acontecer;
  • Sensação de que está distante da realidade.

Qual a Diferença?

mulher com mãos no rosto, sentindo medo por causa da ansiedade

A Ansiedade é um sentimento que todas pessoas têm quando se sentem ameaçadas, podendo surgir em situações de perigo, ajudando o corpo a lutar ou fugir. Quando os sintomas da Ansiedade se tornam muito intensos, causando incômodos físicos, dizemos que o indivíduo está passando por uma crise.

A crise de ansiedade geralmente ocorre devido a algum gatilho, como estresse ou preocupação, que mantem o corpo em alerta para lutar contra o problema. Quando isso acontece de forma recorrente, sem nenhum motivo aparente, ou seja, inesperadamente, podemos dizer que a pessoa sofre com Síndrome do Pânico.

A Síndrome do Pânico é um transtorno de ansiedade muito mais forte do que uma crise de ansiedade em si. Suas causas são desconhecidas, e as crises costumam ser recorrentes, causando medo e pavor na pessoa que sofre com o distúrbio. Portanto, a diferença entre a Ansiedade e a Síndrome do Pânico é a forma como cada uma delas age no organismo, além de que o Transtorno do Pânico, como também é chamada, é uma variante da Ansiedade.

Fontes:

http://www.scielo.br/pdf/rbp/v22s2/3791.pdf

https://www.nhs.uk/translationportuguese/Documents/Anxiety_Portuguese_FINAL.pdf