Conheça os Sintomas da Síndrome do Pânico

A Síndrome do Pânico é um transtorno de ansiedade aguda e intensa, que pode ocorrer em qualquer horário do dia, em qualquer local, sem um motivo aparente. As crises são caracterizadas por uma sensação de perigo e desespero, com medo de que algo ruim aconteça, causando uma série de sintomas incômodos.

O indivíduo que sofre com a síndrome costuma ter crises recorrentes e inesperadas, que resultam no medo de ter novos ataques. Isso faz com que a pessoa se isole e evite sair de casa, na tentativa de evitar constrangimento ou de se sentir desconfortável. Por esse motivo, é tão importante tratar a condição com a supervisão de um médico, pois a mesma pode resultar em uma doença mais grave, como a depressão.

As causas exatas da Síndrome do Pânico ainda são desconhecidas, mas acredita-se que fatores como a genética e o estresse podem estar relacionados ao desencadeamento do transtorno. Desse modo, pessoas que são mais ansiosas ou que passaram por uma situação traumática têm mais chances de desenvolver o problema. Além disso, é possível também que certos indivíduos sofram com uma disfunção no sistema de alerta do cérebro, fazendo com que ele se ative em situações sem nenhum risco e sem nenhum motivo.

As crises geralmente aparecem no final da adolescência e início da fase adulta, sendo mais comuns em mulheres do que em homens. No entanto, pessoas com mais de 30 anos de idade e crianças também podem sofrer com a síndrome, apesar de que no segundo caso ela possa ser diagnosticada após a infância.

Sintomas Inicias

mulher com mão no peito, sofrendo com síndrome de pânico

As crises de pânico podem ocorrer em qualquer situação, como num passeio com a família, dirigindo um carro ou simplesmente realizando qualquer atividade. Elas costumam durar entre 10 a 30 minutos, trazendo uma série de sensações físicas e mentais para a pessoa que parece durar horas. Além disso, alguns desses sintomas podem permanecer após a crise, sendo facilmente confundidos com ataques cardiovasculares.

Os sintomas iniciais da Síndrome do Pânico são bastante assustadores, até mesmo para quem já sofreu com uma crise no passado e sabe do que se trata. A ansiedade e o medo surgem inesperadamente, deixando o corpo em estado de alerta para que possa fugir do perigo, que não existe. Os batimentos do coração aceleram e os músculos ficam tensos, deixando a pessoa num estado de pavor, acreditando que possa estar tendo um ataque cardíaco. Por isso, a crença de que está morrendo durante uma crise é um dos principais sintomas do transtorno.

Sintomas Físicos

homem com as mãos na cabeça, sentindo dor

Uma crise de pânico é bastante desesperadora, pois além da sensação de medo durante o momento, alguns sintomas físicos também são sentidos, principalmente quando ela está em seu pico. Isso faz a pessoa pensar que algo está errado com o corpo dela, acreditando que possa estar tendo um ataque ou que está prestes a morrer.

Os sintomas físicos da Síndrome do Pânico geralmente são:

  • Respiração ofegante;
  • Falta de ar e sensação de sufocamento;
  • Suor excessivo;
  • Tremores;
  • Calafrios;
  • Ondas de calor;
  • Boca seca;
  • Náuseas;
  • Dores abdominais;
  • Sentir que a garganta está fechando;
  • Dor no peito;
  • Dormência e formigamento nas mãos, pés ou no rosto;
  • Palpitações;
  • Batimentos cardíacos acelerados;
  • Dificuldade para engolir;
  • Tonturas;
  • Dor de cabeça;
  • Desmaios.

Sintomas Mentais

mulher com as mãos na cabeça, com pensamentos negativos causados pela síndrome do pânico

A sensação constante de que está morrendo durante uma crise é só um dos piores sintomas mentais da Síndrome do Pânico. Pessoas que sofreram alguma vez com o problema podem desenvolver um medo extremo de diversas situações, como andar de carro ou participar de reuniões e eventos públicos. Isso ocorre porque os sintomas físicos não aparecem sozinhos, eles surgem acompanhados de pensamentos e sensações que fazem a pessoa ter medo de passar por aquilo de novo.

Os sintomas mentais da Síndrome do Pânico geralmente incluem:

  • Medo causado pela sensação de que está prestes a morrer;
  • Medo de enlouquecer ou perder o controle;
  • Pensamentos negativos;
  • Desespero;
  • Ansiedade;
  • Sensação de que algo trágico está prestes a acontecer;
  • Sensação de que está distante da realidade.

As crises de pânico podem ser muito prejudiciais, tanto para a pessoa quanto para o desempenho de suas atividades cotidianas, como trabalho e escola. Em casos mais sérios, quando não há um tratamento correto, o indivíduo pode acabar desenvolvendo problemas como o alcoolismo e uso de drogas, além de influenciar no surgimento de Depressão.

O tratamento para Síndrome do Pânico é de extrema importância, e geralmente é feito através do uso de alguns medicamentos acompanhado de terapia cognitiva comportamental. A cura da disfunção é bastante rara, mas isso não diminui a necessidade de um tratamento especializado para aprender a lidar com os sintomas.

Os profissionais que podem dar o diagnóstico e acompanhar o tratamento do transtorno são:

  • Médico psiquiatra;
  • Clínico geral.

Se você passou por uma crise de pânico, procure um médico imediatamente para realizar a terapia necessária. Apenas um profissional pode dar o diagnóstico correto do que pode ter causado os sintomas citados anteriormente.

Fontes:

http://www.scielo.br/pdf/rprs/v31n2/v31n2a02

http://www.saude.mt.gov.br/upload/documento/104/sindrome-do-panico-uma-psicopatologia-contemporanea-[104-071011-SES-MT].pdf