Transtorno de Ansiedade Generalizada

Transtorno de Ansiedade Generalizada

Mais conhecida como TAG, o transtorno de ansiedade generalizada é um problema comum. As causas da TAG não são certas ainda, mas por ser um transtorno psíquico é provável que seja o estresse. Outros fatores que desencadeiam o transtorno de ansiedade generalizada, principalmente nos jovens, é a constante pressão para ser produtivo. Cobranças para ir bem na faculdade, conseguir um emprego, um bom relacionamento e outros são fatores que pesam muito na cabeça do jovem e acaba se tornando um problema de ansiedade.

Ilustração de um homem sendo esmagado por uma mão gigante, representando a confusão mental da ansiedade.

Outra razão para a ansiedade além do estresse é o desequilíbrio nas substâncias neurotransmissoras. Há outros motivos para uma pessoa desenvolver TAG e podem ser menopausa, abusos psicológicos, abusos físicos ou até mesmo condições crônicas de saúde, como câncer.

Ansiedade Generalizada Sintomas

O sintoma principal do transtorno de ansiedade generalizada é a preocupação constante com eventos que podem ou não acontecer. Essa preocupação gera uma tensão e um estresse que a pessoa portadora desta doença simplesmente não consegue se livrar. Mesmo que a pessoa tenha plena consciência de que sua preocupação não tem motivo aparente, para ela pode ser extremamente difícil relaxar e se livrar dos sintomas.

É comum a pessoa apresentar:

  • Dores nas costas e nos ombros;
  • Fadiga, inquietação, tontura ou suor;
  • Dificuldade para dormir;
  • Irritabilidade;
  • Boca seca;
  • Náuseas;
  • Cansaço.

Além dos sintomas físicos é possível apresentar outros sintomas psíquicos, que são:

  • Medo irracional;
  • Pensamentos descontrolados;
  • Preocupação exagerada;
  • Nervosismo;
  • Alterações de humor.

Ansiedade Generalizada tem Cura?

Não. O que é possível tratar são os sintomas. A pessoa vai viver com a ansiedade, podem com uma mudança de hábitos e o acompanhamento médico possivelmente tratar a TAG. O tratamento pode incluir terapia com psicólogo e o uso de remédios indicados. É necessário procurar um médico psiquiatra para indicar qual o melhor remédio. Nunca se automedique em casos de ansiedade.

Como Funciona a Terapia?

Há diversas formas de terapia, depende da linha de trabalho do psicólogo escolhido. Porém todas costumam trabalhar os traumas, o comportamento e ajudar a lidar com as situações vividas pelo do paciente. O psicólogo pode ajudar a trabalhar técnicas para aliviar a ansiedade em momentos em que ela já esteve presente e a modificar padrões de pensamentos que podem gerar uma crise. O trabalho principal do psicólogo é ajudar a organizar pensamentos que a própria ansiedade distorce, melhorando o controle emocional do paciente.

Ilustração retratando consulta com psicologo.

Como Funciona a Consulta com o Psiquiatra?

O médico psiquiatra irá avaliar o seu caso conforme os sintomas apresentados e irá diagnosticar. Esse diagnóstico poderá ser feito junto com o terapeuta. Feito o diagnóstico, o médico irá indicar o medicamento apropriado para tratar os sintomas. Apesar do transtorno de ansiedade generalizado não ter uma cura, não é necessário tomar os remédios para sempre. O tempo de tratamento deve ser indicado pelo próprio médico. Interromper o tratamento pode causar pioras nos sintomas.

Transtorno de Ansiedade Generalizada: Depoimentos

“Quando eu fui diagnosticado pela primeira vez com Transtorno de Ansiedade (por um psiquiatra, quando realmente resolvi procurar ajuda após várias crises), eu pensei: “Putz, o que isso significa?” Eu queria muito saber o que era e como poderia lidar com o transtorno de ansiedade. Eu não sabia, mas é mais comum do que eu esperava. Eu conversei com várias pessoas que eu não sabia que também tinham TAG (Transtorno de Ansiedade Generalizada) e comecei a descobrir a minha própria ansiedade. Sempre que procuramos sobre ansiedade o primeiro sintoma que aparece é “excesso de preocupação”, mas comigo não era assim. Quando surgia um problema, eu pensava e começava a encontrar soluções para eles. O grande problema disso era que eu não tinha foco e buscava todos os tipos de soluções. Virava uma bola de neve que eu não sabia lidar. Meu corpo também reagia a isso. Tudo tremia, coração acelerado, formigamento em algumas partes e até mesmo sentia uma queimação interna. Sempre me achei uma pessoa ansiosa, mas quando falamos disso abertamente é comum ouvirmos que é frescura. Mais normal ainda é deixarmos de procurar ajuda para saber o que realmente está acontecendo, só vamos quando tudo está desmoronando e não sabemos mais o que fazer.” – Arthur Fonseca, 27 anos, estudante de direito.

“Eu percebi que faço tudo apressada. Até mesmo as coisas mais simples como escovar meus dentes ou fazer café. E 80% do que eu faço em um dia normal eu não preciso me apressar. Isso me estressa mais do que necessário e é só com coisas normais da rotina. Na terapia eu descobri que faço isso porque tenho a sensação de que se eu não conseguir completar qualquer tarefa pequena em um certo momento, o mundo pode acabar. Eu estou tentando tratar estas pequenas coisas no dia-a-dia para ficar melhor. Posso dizer com toda a certeza que a pior fase do meu transtorno foi antes de ser diagnosticada. Eu sabia que tinha algo errado, mas eu não sabia o que era. Até eu descobrir que era transtorno de ansiedade generalizada várias coisas na minha vida deram errado. Buscar ajuda foi a melhor coisa que eu pude fazer por mim. Eu sei que sou forte por isso” – Marina Dias, 31 anos, representante comercial.

Ilustração de uma mulher pensativa

 

Fontes: 

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462000000600006

https://www.uniad.org.br/images/stories/publicacoes/Transtornos%20de%20ansiedade.pdf

http://psiquiatriabh.com.br/wp/wp-content/uploads/2015/01/Projeto-Diretrizes-Transtornos-de-ansiedade.pdf