Tudo sobre Ansiedade: Crises

A ansiedade basicamente é um estado mental que todo mundo conhece. É a expectativa por algo que está para acontecer. Isso é o que costumamos ouvir por aí. “Hoje estou ansioso”. É comum o transtorno de ansiedade ser confundido e diminuído por essa sensação e portanto, ser banalizado.   Diferente da ansiedade, o Transtorno se caracteriza principalmente como preocupação e medo extremo, podendo causar sintomas físicos.

 

O que é

A ansiedade é o sentimento associado à preocupação com o futuro e o medo de alguma coisa. É considerado uma reação biológica natural e instintiva que dispara o “alarme” quando alguma situação de risco está para acontecer. No transtorno esse “alarme” é disparado por meio de distorções de pensamentos, que criam uma realidade com acontecimentos improváveis, podendo gerar o pânico.

Cartaz ilustrando uma pessoa com ansiedade, em cima os dizeres "eu percebi que não importo"

No mundo moderno é comum o transtorno de ansiedade. A frequente pressão por produtividade, a vida acelerada, o grande estresse presente no dia-a-dia são fatores que agravam os quadros de transtorno de ansiedade. Quando a pessoa está ansiosa, o corpo libera hormônios que preparam para situações de luta ou fuga. No caso de uma pessoa ansiosa, o corpo sofre com essa liberação de hormônios, pois quase nunca há uma situação de perigo real. Quando a pessoa apresenta essa ansiedade de forma constante a ansiedade deixa de ser considerada uma sensação e passa a ser considerada um distúrbio que necessita de tratamento apropriado para não afetar a qualidade de vida e evoluir para uma depressão.

Quais são os Tipos de Distúrbio de Ansiedade?

  • Ataques de pânico: ocorrem sem motivo aparente e possuem sintomas intensos, como vômitos, falta de ar, tontura e sensação de morte iminente;
  • Transtorno obsessivo-compulsivo: mais conhecido como TOC, é caracterizado por comportamentos compulsivos e pensamentos obsessivos;
  • Estresse pós-traumático: flashbacks e pesadelos relacionados a um evento traumático. A pessoa sente as mesmas coisas que sentiu durante o evento, como se tivesse vivendo aquilo novamente;
  • Ansiedade generalizada: conhecida como TAG, é a preocupação excessiva que leva a uma série de sintomas físicos e psíquicos que prejudicam a vida;
  • Fobias: medo intenso e desproporcional de algo que não representa nenhum perigo. Exemplo: anatidaefobia é o medo irracional de patos.

Ansiedade tem Cura?

Na prática, podemos diminuir todos os sintomas até que eles não apareçam mais. Teoricamente o transtorno de ansiedade é uma doença psíquica que necessita de um tratamento contínuo durante toda a vida. Entretanto, é possível viver com ela sem sintomas, mesmo sem tomar remédios. Para isto você precisa de acompanhamento de um médico psiquiatra e de um psicólogo. Ambos ajudarão a desenvolver o controle emocional e a dissipar os sintomas do transtorno.

Ansiedade pode Matar?

Como qualquer doença psíquica, depende. O tratamento terapêutico é necessário. Há casos em que os sintomas são tão extremos em que o paciente vê a morte como única saída possível. A chave para tratar da ansiedade é sempre buscar a terapia e aceitar ajuda. Sempre é possível buscar ajuda, para que os casos de doenças psíquicas sejam tratados corretamente sem o risco de suicídio. Em situações de risco é recomendado buscar o Centro de Valorização da Vida.

Ilustração de uma pessoa isolada em si mesma

O que Tomar?

Os medicamentos para a ansiedade devem ser receitados por um médico psiquiatra. Não se automedique, os remédios para doenças psíquicas podem ter efeitos colaterais indesejados e devem ser ministrados sob a orientação médica.

Os remédios para tratar os sintomas da ansiedade podem ser ansiolíticos e anti-depressivos. Os remédios ansiolíticos tem efeito tranquilizante, porém não tratam completamente. Eles acalmam os sintomas, desacelerando as funções do corpo, reduzem o sofrimento emocional e devem ser indicados juntos com a psicoterapia. Esse tipo de medicamento age no sistema nervoso central para aliviar a ansiedade e geralmente tem como efeito colateral o sono. Os ansiolíticos mais conhecidos são os benzodiazepínicos, como clonazepam (rivotril) e diazepam (valium).

Antidepressivos ajudam a aliviar os sintomas da ansiedade por meio da regulação de neurotransmissores no cérebro que regulam o humor. Eles levam aproximadamente 1 mês para começarem a fazer efeito e devem ser usados somente com acompanhamento médico.

O que Fazer?

Há várias formas de aliviar a ansiedade. A mais indicada por psicólogos e psiquiatras é o exercício físico. A liberação de endorfina do corpo alivia os sintomas, ajuda no sono, no humor e proporciona mais disposição. Yoga é uma ótima opção, pois é um exercício físico com meditação. A meditação é uma forma de disciplinar a mente e a consciência no presente, isso evita que a mente crie situações irreais que podem resultar numa crise.

Ilustração de mulher fazendo alusão ao controle emocional

Atividades como boxe, jiu-jutsu e outras lutas podem ser boas opções para descarregar as tensões geradas pela doença. Além de ser uma forma de liberar as tensões, lutar gasta muita energia e pode proporcionar uma boa noite de sono. Junto com as soluções práticas é importante fazer terapia. A terapia com o psicólogo é capaz de esclarecer os motivos da ansiedade e ajuda na busca de soluções, além de reconstruir a autoconfiança e acabar com o nervosismo.

Fontes:

http://rihuc.huc.min-saude.pt/bitstream/10400.4/191/1/ansiedade.pdf

http://www.scielo.br/pdf/csc/v21n1/1413-8123-csc-21-01-0083.pdf

http://www.scielo.br/pdf/rbp/v21s1/v21s1a06.pdf